Viajante Natural Destino Brasil

Convívio com a natureza na rota Caminhos Rurais

O roteiro Caminhos Rurais, em Porto Alegre, é uma experiência única de turismo sustentável e de contato com o ambiente rural da cidade

Porto Alegre, carinhosamente chamada de Poa, é muito mais do que rota de passagem para as Serras Gaúchas. A terra do churrasco, do chimarrão e do Gre-Nal é capaz de propiciar uma experiência inesquecível para o turista que a visita, seja por meio dos museus, da orla do Guaíba, do Mercado Público ou dos variados atrativos turísticos da cidade.

O charme de Poa está inclusive na conexão com a natureza proporcionada pelos belos parques urbanos, como o Farroupilha, também denominado de Redenção, e o Moinhos de Vento, conhecido por Parcão. Como uma das capitais mais arborizadas do país (segundo dados do Censo de 2010 do IBGE), costuma-se dizer que na capital do Rio Grande do Sul há uma árvore para cada habitante.

A Secretaria Municipal de Turismo de Porto Alegre (SMTUR), aproveitando essa vocação para o turismo sustentável, desenvolveu o city tour Zona Sul, cujas principais atrações são as paisagens naturais da capital, com destaque para as propriedades da rota turística Caminhos Rurais de Porto Alegre. O trajeto é panorâmico e a visita aos empreendimentos é operada por meio de agências de receptivo.

Caminhos Rurais

caminhos ruraisOs proprietários de empreendimentos na zona rural de Porto Alegre começaram a receber turistas em 1999, após perceberem a necessidade de uma nova alternativa de geração de renda. Na época, foi criado um roteiro piloto desenvolvido por estudantes do Curso Superior de Turismo da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), com apoio da Prefeitura Municipal de Porto Alegre (PMPA).

A Associação Porto Alegre Rural (POA Rural) é formada por empreendimentos dedicados ao turismo sustentável, desenvolvendo atividades que buscam valorizar e preservar a região, mantendo as características e o modo de vida campestre, por meio da agricultura familiar convencional e agroecológica, e da criação de animais, principalmente cavalos crioulos e ovinos.

“Acredita-se no turismo como alternativa de manutenção da área rural produtiva e de conservação dos espaços naturais, ambos ameaçados pelo processo de descaracterização das áreas de entorno, que comprometem a região sul da cidade, último e maior reduto verde da capital”, explica Renata Fontoura, diretora administrativa da Gestão 2016-2017 da POA Rural. Para ela, os principais desafios são referentes à manutenção do roteiro, pois não há incentivo financeiro para investimento em marketing e divulgação.

Ao todo, 14 propriedades compõem a rota: Sítio Canto Rural, Fazendinha Farroupinha, Sítio Capororoca, Haras Cambará, Cabanha La Paloma, Sítio do Mato, Cabanha Costa do Cerro, Granja Santantonio, Granja Lia, Sítio Santa Fé, Sítio Chimango, Colonia Villa Nova, Rossatto Garden Center e Sítio Santa Clara.

caminhos rurais
Turismo Rural

Dados de pesquisa realizada pela SMTUR em 2010 revelam que quase 70% dos turistas que viajam à cidade são motivados por visitas a familiares e amigos ou por negócios e trabalho. Para atrair esse público ao turismo rural, a SMTUR promove programações diferenciadas e adequadas às características do segmento e da demanda, considerando que Porto Alegre é uma das poucas capitais brasileiras que oferece essa opção de turismo próximo ao centro urbano.

Assim, de acordo com a SMTUR, diversificar a oferta, oferecendo espaços para a realização de eventos e de encontros corporativos no ambiente natural, aproxima o segmento de negócios. Para aqueles em visita a familiares e amigos, a opção de empreendimentos de lazer no meio campestre é um diferencial, possibilitando que tanto o morador quanto o visitante possam desfrutar desse ambiente em um encontro com as tradições rurais gaúchas.

Dentre as capitais brasileiras, Porto Alegre é a segunda em produção de alimentos e é a maior área rural produtiva, conforme dados da POA Rural. Essa área, que já foi de 30%, equivale hoje a 8% do território da cidade de acordo com o Plano Diretor. A Zona Rural foi instituída por meio da Lei Complementar nº 775, de 23 de outubro de 2015, sancionada pela PMPA.

Sobre o Autor

Lívia Priscilla

Jornalista e turismóloga cearense. Amante de viagens. Para mim, viajar é conhecer e reconhecer pessoas e lugares, criando e recriando olhares sobre o mundo.

  • suelenefilgueiras

    Muito interessante a organização do Caminhos Rurais, envolvendo turismo, culinária, paisagens, natureza e convívio ecológico. Tudo produzido e consumido por eles, gerando um negócio em cada propriedade rural e promovendo renda e valorização do meio ambiente. Deu vontade de conhecer! Parabéns pela matéria.