Destino Brasil

O que fazer em Curitiba: passeios pela cidade mais verde do Brasil

Foto: Instituto Municipal Curitiba Turismo

A cidade de Curitiba, no estado do Paraná, combina beleza e natureza presentes em parques, como o Jardim Botânico, com a cultura presente em seus museus, como o Museu Paranaense. Em 29 de março de 1963 o Capitão Povoador Matheus Martins Leme realizou a primeira eleição para a Câmara de Vereadores e as instalações da vila, como determinavam as Ordenações Portuguesas. Era criada assim a Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, futura Curitiba.

No ano de 1721 ocorreu a mudança do nome da vila e da rotina do povoado, com a visita do ouvidor Raphael Pires Pardinho, possivelmente a primeira autoridade a se preocupar com o meio ambiente na cidade, dando início a uma prática pela qual a cidade hoje é reconhecida internacionalmente.

Curitiba é uma palavra de origem guarani que significa “grande quantidade de pinheiros, pinheiral”. Um traço determinante para a história da cidade foi a vinda de imigrantes das mais variadas proveniências – nordestinos, gaúchos, mineiros, paulistas, como também estrangeiros, asiáticos, africanos e europeus, colaboraram para a criação da estrutura demográfica, social, financeira e cultural da localidade.

O que fazer em Curitiba

A cidade de Curitiba respira cultura, arte e natureza em seus quatro cantos. Mas uma atração, na verdade várias atrações, praticamente obrigatórias em Curitiba são os parques. O mais conhecido e o mais visitado é o Jardim Botânico, que foi criado à imagem dos jardins franceses. Foi inaugurado em 1991 e, na entrada, estende seu tapete de flores aos visitantes.

A estufa do Jardim Botânico em estrutura metálica guarda espécies botânicas que são referência para o país. O Jardim das Sensações é uma trilha de duzentos metros que o turista percorre de olhos vendados e pode tocar as plantas com as mãos, sentir o perfume delas e também o cheiro da terra. Pode ainda colocar os pés no chão e ouvir o vento e a cascata.

Outro parque é a Ópera de Arame, que foi inaugurada em 1992 e é um dos atrativos mais simbólicos de Curitiba. Com uma estrutura tubular e teto transparente recebe todo tipo de espetáculo, do clássico ao popular, tendo capacidade para 1.572 espectadores. A Ópera faz parte do Parque das Pedreiras, juntamente com o Espaço Cultural Paulo Leminski, cenário de grandes eventos, em meio a uma paisagem magnífica, cascatas, lagos e vegetação típica.

O Parque Tingui é parte do maior parque ambiental linear do país, instaurado às margens do rio Barigui e lembra os indígenas que habitavam o lugar através da estátua do cacique Tindiquera. O Parque Tanguá retrata mais uma etapa do projeto de preservação do curso do rio Barigui, em conjunto com os parques Tingui e Barigui. Em evidência no parque estão duas pedreiras que são unidas por um túnel de 45 metros, que pode ser percorrido a pé, por uma passarela sobre a água.

Barigui significava Rio do Fruto Espinhoso, segundo os índios que moravam na região, antes mesmo da fundação de Curitiba. Nos dias de hoje o Parque Barigui é o parque mais frequentado e um dos maiores da cidade, contando com equipamentos para ginástica, quiosques, churrasqueiras, restaurante, museu do automóvel, pistas de bicicross e aeromodelismo. Os frequentadores do parque não se resumem aos turistas: preás, tico-ticos, gambás e muitas outras espécies habitam por lá.

Os museus também são um ótimo convite para o que fazer em Curitiba. Um dos mais famosos é o Museu Oscar Niemeyer, popularmente conhecido como O Olho, dedicado à exposição de artes visuais, design, urbanismo e arquitetura. O Museu Ferroviário conta a história da construção da ferrovia que liga Paranaguá a Curitiba e está localizado no prédio da antiga estação de trem, que foi reformado para abrigá-lo. O prédio fica junto ao Shopping Estação onde estão o Teatro Regina Vogue e o Teatro de Bonecos do Dr. Botica.

Veja mais: passeio de trem entre Curitiba e Morretes

Foto:Orlando Kissner/SMCS

Há ainda vários pontos de interesse como a Rua das Flores, que é uma atração considerada um verdadeiro shopping a céu aberto, pela sua propensão para serviços, comércios e cafés. Ao lado da Rua das Flores está o Palácio Avenida, onde acontecem as apresentações de Natal e a Avenida Luis Xavier, a menor avenida do mundo. Outro ponto é o Mercado Municipal de Curitiba, fundado em 1958, ponto de encontro e local habitual de compras da cidade. Por lá podem ser encontrados produtos, como queijos e vinhos, especiarias e bebidas, nas delicatessens, nas bancas de hortigranjeiros e no setor orgânico. Os visitantes podem frequentar os eventos que são realizados constantemente no mercado, ou ainda passar momentos aprazíveis nos restaurantes étnicos.

Foto: Instituto Municipal Curitiba Turismo

Os pontos turísticos de Curitiba podem ser conhecidos embarcando nos ônibus de dois andares da Linha Turismo. O valor de uma cartela com cinco tíquetes é de R$ 45, que dá direito de desembarcar em quatro pontos turísticos de sua preferência, aproveitar o local escolhido pelo tempo que desejar e reembarcar no próximo ônibus, que circula a cada trinta minutos. A saída é na Praça Tiradentes, no Centro da cidade, e o serviço funciona de terça a domingo, das 9h às 17h30, Nas férias o serviço é oferecido diariamente.

Como chegar em Curitiba:

Via Terrestre: pelas rodovias BR116 – liga Curitiba a São Paulo e também ao Rio Grande do Sul e à divisa de Santa Catarina. BR376 e BR101- liga Curitiba a Palhoça SC.  BR277 – que liga Curitiba ao litoral e interior do Paraná.

Via Aérea: companhias que voam para Curitiba – Avianca Azul, Gol, Latam.

Sobre o Autor

Raffaela Soares

Bacharel em Turismo. Uma pessoa pronta para descobrir o mundo, preservar suas belezas e mudar, quando necessário, o que descobrir.