Viajante Natural Destino Internacional

Guiana: o próximo destino de ecoturismo

Descubra um paraíso perdido na América do Sul

Despontando como um destino único de ecoturismo com florestas tropicais intocadas, ecossistemas genuínos, flora e fauna exóticas e cultura e pessoas vibrantes, a Guiana tem capturado corações e mentes de aventureiros, ecoturistas, conservacionistas e viajantes curiosos que buscam explorar uma jóia intocada na América do Sul.

Aninhada entre a Venezuela ao oeste, Suriname ao leste e o Brasil ao sul, a Guiana tem sido muitas vezes ofuscada como destino turístico por alguns de seus vizinhos maiores e mais barulhentos, que roubam o foco da região no palco internacional do turismo. No entanto, o governo do único país da América do Sul que fala inglês está determinado a ver a fama de seus imensos atrativos naturais se espalhar e oferecer as condições para permitir que sua indústria do turismo brilhe. Ele embarcou em uma campanha de construção de imagem e branding não só para levar a mensagem a turistas e investidores internacionais sobre suas atrações, mas também a guianeses de aproveitarem o potencial de negócios neste setor nascente.

“Estamos olhando deliberadamente para a questão da inovação de produtos e o negócio do turismo”, disse Cathy Hughes, Ministra do Turismo da Guiana, “A razão é que sentimos que o guianês em geral não tinha noção de como ele podia entrar em alguma atividade empreendedora ou negócio comercial relacionado ao turismo. Tradicionalmente, a Guiana tem uma economia de base agrícola: açúcar e arroz, assim como mineração, constituem os pilares da nossa economia. Nós precisamos agora focar em diversificar nossa economia”.

Em 2014, durante a World Travel Market, o governo implementou um programa bem específico para definir “quem nós somos e o que nós temos”, diz a Ministra do Turismo. “Nós definimos uma nova marca que é: Guiana, América do Sul Não Descoberta”. Ao entrar no poder em 2015, a administração do presidente David Granger deixou claro que o turismo não podia mais ser negligenciado como uma das prioridades da nação e estabeleceu o Ministério do Turismo, com a Sra Hughes à frente. “Antes disso”, ela aponta, “o turismo sempre esteve ligado a outra indústria. Mas agora queremos desenvolvê-lo como um setor autônomo e o Ministério do Turismo foi encarregado de tocar esse crescimento”.

Além disso, entidades como a Explore Guyana e a  Guyana Tourism Authority (GTA) estão na mesma direção, encorajando o desenvolvimento do setor através de várias iniciativas.

Leia a matéria completa em inglês em The Worldfolio

Sobre o Autor

Ana Duék

Jornalista com Mestrado em Gestão de Turismo e Hospitalidade pela Middlesex University (Londres), cursando MBA em Marketing Digital pela FGV. Acredita que as viagens podem ajudar a formar melhores pessoas e lugares para se viver! Cada um pode encontrar o seu caminho.