Viajante Natural

Costa do Descobrimento ganha projeto de observação de aves

Foto: Luciano Candisani
Guaxe (Cacicus haemorrhous)

Nossa Costa do Descobrimento, na Bahia, tombada como Patrimônio Natural Mundial pela Unesco em 1999, está cercada por diversos atrativos naturais que vão muito além das lindas praias. Dispostos a provar isso e a promover o turismo sustentável, a educação ambiental e a incentivar a observação de aves na região, a Conservação Internacional (CI-Brasil), a Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN Estação Veracel, a RPPN Rio do Brasil, o Parque Nacional Pau Brasil e o Refúgio de Vida Silvestre do Rio dos Frades se uniram para criar o projeto de Observação de Aves – Costa do Descobrimento.

Foto: Luciano Candisani

Surucua grande de barrga amarela (Trogon chionurus)

O projeto será lançado oficialmente dia 4 de abril, no Senac de Porto Seguro-BA, a partir das 13h, em evento aberto ao público. Na ocasião, palestrantes reconhecidos em nível nacional e internacional vão discutir a importância do avistamento de aves para a sustentabilidade no turismo, a educação ambiental e a ciência cidadã. O objetivo do do programa é promover a observação de aves na Costa do Descobrimento como estratégia de conservação ambiental e oportunidade para gerar negócios, tendo as unidades de conservação como espaços privilegiados para isso. Nesta primeira etapa do projeto acontecerão somente expedições para o completo mapeamento da atividade e estudo para abertura ao público.

“A Bahia foi o começo de tudo e nós da CI-Brasil acreditamos que a região é estratégica para a conservação de um bioma tão explorado ao longo dos anos, como a Mata Atlântica. Atraindo turistas para práticas sustentáveis, apresentamos as belezas surpreendentes da região e estabelecemos parcerias estratégicas para a conservação”, explica Rodrigo Medeiros, vice-presidente da CI-Brasil, que atua na região do extremo sul da Bahia há mais de 20 anos.

Atividade já consolidada em muitos países, a observação de aves mobiliza mais de 80 milhões de pessoas nos Estados Unidos. Na Europa, três em cada 10 pessoas são observadores. Na rota das aves migratórias da Ásia para a Europa existem 10 milhões de observadores cadastrados e atuantes. No Brasil, é estimado um mercado de 30 mil de observadores e a atividade tem crescido nos últimos anos. Os praticantes buscam ambientes naturais para observar e fotografar as aves e seus registros muitas vezes são compartilhados em plataformas colaborativas, como é o caso do WikiAves, maior plataforma do Brasil sobre o tema.

Foto: Cleiuodson Lage

Beija-flor rabo-branco-de-margarette observado na RPPN Rio do Brasil

Nestas quatro áreas de florestas protegidas na Costa do Descobrimento, no sul da Bahia, já foram catalogadas mais de 200 espécies de aves, sendo algumas bem raras, como o beija-flor rabo-branco-de-margarette (foto) e o crejoá. Segundo Tiago Leão, chefe do Refúgio de Vida Silvestre do Rio dos Frades/ICMBio, este número aumentará significativamente à medida que novos observadores de aves cheguem à região. “Temos fragmentos relevantes de Mata Atlântica em nossa região e uma biodiversidade riquíssima. Associando a isso toda à estrutura de turismo que hoje contempla o destino de sol e praia, poderemos gerar emprego e renda e ainda fortalecer as estratégias de conservação do bioma. Experiências já bem sucedidas estão nos inspirando”, completa Renato Carneiro, gerente de Sustentabilidade da Veracel.

Arranjo institucional do projeto – juntos por um turismo inclusivo e sustentável

Os objetivos desta parceria são: consolidar as quatro unidades de conservação – RPPN Estação Veracel, RPPN Rio do Brasil, Parque Nacional do Pau Brasil e Refúgio de Vida Silvestre do Rio dos Frades – como demonstrações da viabilidade e relevância do segmento de observação de aves no Brasil; engajar e oferecer oportunidades de treinamento e atividades educativas para as comunidades do entorno dessas unidades de conservação, realçando o potencial do segmento de observação de aves para a geração de trabalho e renda e para a educação ambiental de moradores e visitantes; além de elaborar uma estratégia para a promoção do segmento de observação de aves na região, influenciando outras unidades de conservação, o trade turístico regional, gestores públicos e potenciais investidores.

Imersão na natureza

O projeto tem ainda forte apelo educacional, onde escolas do município farão parte de um processo de engajamento ambiental por meio da observação de aves. As instituições parceiras sabem da importância de trabalhar como nossos jovens para que o futuro das aves e da mata atlânticas fiquem em boas mãos.

Observar aves é muito mais que ir para a mata e ver pássaros, é uma experiência completa de imersão na natureza e de respeito com a vida, a partir do momento em que nós passamos a conhecer e respeitar a fragilidade da nossa biodiversidade. O observador de aves além de ter o prazer de interagir com a natureza também ganha em saúde. Hoje diversos estudos de universidade mundo à fora, comprovam a eficácia da observação de aves para a prevenção de doenças e redução do stress.

Sobre o Autor

Ana Duék

Jornalista com Mestrado em Gestão de Turismo e Hospitalidade pela Middlesex University (Londres), cursando MBA em Marketing Digital pela FGV. Acredita que as viagens podem ajudar a formar melhores pessoas e lugares para se viver! Cada um pode encontrar o seu caminho.