Mercado

América Latina: a importância da paisagem no turismo

América Latina:
Caribe Maya, uma das iniciativas concorrendo ao prêmio Turismo Responsável e Paisagem na América Latina | Foto: Visit Caribe Maya
Escrito por Ana Duék

por Ángela Rodríguez para o Travindy ES

Por ocasião de seu quinto aniversário, a Iniciativa Latinoamericana da Paisagem (LALI) realizou este ano vários eventos e convocatórias, criando sinergias entre parceiros estratégicos, academia e instituições para unir forças pela gestão sustentável e responsável da paisagem.

Neste contexto, o Fundo Verde e a LALI convocaram o concurso Turismo Responsable y Paisaje en Latinoamérica (Turismo Responsável e Paisagem na América Latina) neste verão. Graças a ele pudemos conhecer vários empreendimentos de hospedagens rurais e projetos de base comunitária na América Central e América do Sul.

Para avaliar estes projetos foram estabelecidos vários critérios adaptados do Conselho Global de Turismo Sustentável (GSTC), que tinham como base os três pilares da sustentabilidade: meioambiental, social e econômico. Além disso, cada proposta deveria ir acompanhada de suas correspondentes fotografias. No total foram recebidas 28 propostas de 12 países diferentes.

Deste modo, o projeto vencedor na categoria de alojamentos rurais foi a Reserva Natural Zafra, localizada em San Rafael Antioquia (Colômbia) – vencedora por sua ação ativa na conservação da paisagem, realizando um ecoturismo de baixo impacto onde a comunidade local é implicada diretamente.

O projeto de base comunitária ganhador foi a Asociación Comunitaria ACTUAR em São José, Costa Rica. A Associação é uma rede nacional composta por grupos de culturas indígenas, mulheres, conservacionistas e outras comunidades rurais que realizam atividades de turismo complementares a suas economias tradicionais. O alto conteúdo cultural e ambiental das ações da ACTUAR foi o que a levou até o podio do concurso LALI.

Não obstante, o concurso foi muito equilibrado, já que havia grandes e ambiciosos projetos que não deixaram trabalho fácil aos membros do júri. Caribe Maya Desconectado, na Guatemala e Honduras, é um bom exemplo disso. Falamos de uma organização que criou o multidestino Caribe Maya, de gestão comunitária em áreas protegidas com alto conteúdo cultural, como o da cultura maia e garífuna. Graças a este trabalho em rede, conseguem impulsionar os empreendimentos comunitários do Sistema Arrecifal Mesoamericano na cadeia de valor do turismo da Guatemala e de Honduras.

O projeto Pacha Trek, caminando con los Kallawayas, de La Paz (Bolívia), mostra a efetividade do turismo biocultural comunitário de quatro comunidades Kallawaya. Esta cultura, com sua particular cosmovisão, foi proclamada pela UNESCO em 2003 como “obra-prima do patrimônio oral e intangível da humanidade”.

Foto: Pacha Trek

Por outra parte, o alojamento La Casa del Hornero en Piriápolis, no Uruguai, primeiro alojamento bed&breakfast sustentável do país, põe em prática o turismo vivencial, com atividades únicas para o visitante em contato direto com a Pachamama (Mãe Terra), novamente fazendo partícipe a população local em toda a cadeia de valor do turismo gerado pelo alojamento.

A América Latina tem um apaixonante legado cultural que se soma à sua incrível biodiversidade. Não obstante, faltam iniciativas que valorizem esses empreendimentos e que lhes permitam dar a conhecer um  público internacional que busca incansávelmente essa autenticidade ainda guardada por muitos destes projetos.

Se tiver interesse em conhecer mais sobre este concurso, os participantes e os jurados, convidamos você a ler e baixar gratuitamente o documento oficial da LALI.

Sobre o Autor

Ana Duék

Jornalista com Mestrado em Gestão de Turismo e Hospitalidade pela Middlesex University (Londres), cursando MBA em Marketing Digital pela FGV. Acredita que as viagens podem ajudar a formar melhores pessoas e lugares para se viver! Cada um pode encontrar o seu caminho.