Viajante Cultural

3 roteiros que celebram o grafite e a de arte de rua

Foto: Viajar Verde

Em meio à polêmica que toma a cidade de São Paulo com diversos grafites apagados das ruas pelo programa Cidade Linda, do prefeito João Dória, vale lembrarmos que a arte de rua, há algum tempo, virou tema de diversos tours à pé por grandes cidades. Roteiros por Nova York, Londres, Melbourne, Berlim, Vancouver, Lisboa, Buenos Aires e São Paulo falam não só da expressão e estilo dos artistas, mas ajudam a contar a história daqueles lugares. Muitas vezes, são uma oportunidade de ver, a céu aberto, obras de artistas já consagrados, como Bansky, Space Invader, Kobra, Stik, Vhils e Jean-Michel Basquiat, que hoje vendem suas obras por milhões de dólares.

Abaixo estão 3 roteiros de arte de rua que são imperdíveis para qualquer viajante:

1. Londres – Brick Lane:

O lado leste de Londres é uma região de muitas histórias e de grande concentração de artistas. Por lá estão os mais importantes grafites da cidade, reunindo obras de artistas de diversas nacionalidades. As regiões de Brick Lane, Spitalfields e Shoreditch viraram verdadeiros museus ao ar livre. Você pode optar por um roteiro com a Alternative London Tours. Mas a minha grande dica é: faça o tour com o super guia Pete, em Brick Lane, com a Unseen Tours.

Foto: Viajar Verde

A Unseen é uma empresa que trabalha com ex-moradores de rua e pessoas em situação de risco, capacitando-os e motivando-os como guias de turismo. Eles são capazes de contar a história da cidade com o olhar muito particular de alguém que viveu ali outra maneira. Diferente dos outros tours, eles permitem que os guias transmitam suas opiniões e visões individuais. O Pete, especificamente, é um apaixonado pela arte de rua e conhece pessoalmente alguns artistas, o que torna o tour ainda mais especial.

Foto: Viajar Verde

Além de contar muito da história de Brick Lane, a região por onde já passaram imigrantes judeus, indianos, bengaleses, e onde Jack o Estripador cometeu seus crimes, Pete mostra as artes de rua mais importantes por ali, incluindo algumas que às vezes passam despercebidas, como os simpáticos cogumelos do britânico Christiaan Nagel. Muitas obras trazem ironias e reflexões sobre desigualdades, direitos humanos e o processo de gentrificação que expulsa moradores do local há algum tempo.

O Visit London dá outras dicas de arte de rua na cidade: http://bit.ly/2lc9RSw

Foto: Viajar Verde

2. Berlim Oriental:

Assim como o leste de Londres, é na ex-Berlim Oriental que estão as grandes expressões artísticas de rua da capital alemã. O Alternative Berlin Tour sai diariamente da Alexanderplatz e nos leva para uma região que dificilmente conheceríamos por conta própria. Começamos pelo complexo RAW, em Friedrichshain, em uma área que foi abandonada logo após a queda do Muro de Berlim e ocupada por artistas e profissionais liberais da Berlim Ocidental. Em 2016, quando o governo tentou retirar à força moradores de um edifício que seria vendido na Rigaer Strass, centenas de pessoas se rebelaram e entraram em confronto com a polícia.

Foto: Viajar Verde

O complexo RAW passa pela mesma questão. Parece que já foi vendido a uma empresa e não se sabe até quando vai durar. Então, trate de visitar logo! Em uma área que já abrigou antigos depósitos de trens, estão diversos galpões hoje dedicados a atividades culturais e bares que ficam movimentadíssimos à noite. Pelas paredes, do lado de fora, estão incríveis obras de arte. No complexo está também o maior skatepark indoor do país, o Skatehalle Berlin. O guia, um autêntico berlinense oriental, explica a diferença entre as pinturas e os cartazes, que se multiplicam por serem mais rápidos e práticos na hora de colar. As multas ainda são caras para os artistas de rua em Berlim.

Foto: Viajar Verde

Seguimos de metrô até a estação Kottbusser Tor para conhecer uma das regiões com maior imigração turca na cidade. O metrô cruza o Rio Spree pela superfície então temos a oportunidade de ver pela janela artes incríveis, incluindo O Homem Amarelo, dos brasileiros Os Gêmeos.

O Visit Berlin também dá ótimas dicas de arte de rua pela cidade: http://bit.ly/1zsFl5D

Foto: Viajar Verde

3. São Paulo – Vila Madalena

São Paulo é uma das mecas da arte de rua. Elas estão espalhadas por toda a parte, mas a região da Vila Madalena é uma ótima opção para caminhar a pé observando uma concentração divertida delas, que inclui artistas brasileiros e internacionais. O Beco do Batman e o Beco do Aprendiz já ficaram internacionalmente famosos, assim os como artistas paulistanos Eduardo Kobra, Os Gêmeos e Minhau. Pela Vila Madá também está o novo mural de Eduardo Kobra, em homenagem a Tom Zé. O bacana dali é que você pode intercalar em seu passeio a arte de rua com as galerias de arte da Vila Madalena, muitas delas com entrada gratuita.

Veja que roteiro bacana o Passeios Baratos SP indica.

A SP Turis traz um roteiro de arte urbana maravilhoso que inclui as várias regiões da cidade: http://bit.ly/1inZfY7

Foto: Eduardo Kobra

Sobre o Autor

Ana Duék

Jornalista com Mestrado em Gestão de Turismo e Hospitalidade pela Middlesex University (Londres), cursando MBA em Marketing Digital pela FGV. Acredita que as viagens podem ajudar a formar melhores pessoas e lugares para se viver! Cada um pode encontrar o seu caminho.